8 de dezembro de 2014

INSTINTO

O Amor é um bicho. 
Nem precisa de palavra. 
Agarra o braço sem pedaço arrancar. 
Quer companhia humana a par da própria liberdade. 
Paz de meramente no ser estar. 
A esmo, sem espera, uma fera sabida. 
Estranhamento não há. Lambe a ferida. 
Interação verdadeira que cheira intensão no ar: 
Desprecavida. 

Um comentário:

A. J. Cardiais disse...

Paola, estou levando este poema para a 1ª Antologia da AVEC (facebook). Se você não concordar, eu retiro. Abraços